A MODERNIZAÇÃO DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

13/11/2017 12:11


São urgentes e indispensáveis as demais reformas, em especial a reforma previdenciária, que está na ordem do dia

Passamos a viver uma nova era nas relações de trabalho a partir deste fim de semana. Desde o dia 11 de novembro, vigora no país uma nova legislação trabalhista, mais moderna, flexível, compatível com a realidade atual do mercado.

A chamada modernização da legislação chega com atraso de pelo menos uma década, mas vem em boa hora. O país começa a retomar sua economia, mas o desemprego ainda é o mais elevado da história e regras mais flexíveis estimulam a contratação.

Os direitos fundamentais dos trabalhadores foram rigorosamente preservados. Férias, 13º salário, jornada compatível, salário mínimo, aviso prévio proporcional, licença maternidade e outras conquistas permanecem inalteradas. Do mesmo modo, as normas de saúde e segurança previstas em lei não podem ser negociadas.

Segundo cartilha da Fiesp, mais de 10 milhões de brasileiros trabalham no sistema informal, o chamado “bico”.  Esse tipo de trabalho, além de ilegal, não garante ao trabalhador os direitos trabalhistas. A nova lei regulamentou o trabalho esporádico, garantindo os direitos e estabelecendo que esse profissional poderá trabalhar formalmente para mais de um empregador.

Outras flexibilizações vão dar mais qualidade de vida ao trabalhador e maior competitividade à empresa. As férias poderão ser divididas em até três períodos, o almoço pode ser feito em 30 minutos e o trabalhador vai pra casa meia hora antes; os dias de feriado são negociáveis e as rescisões trabalhistas ganham novas alternativas.

Enfim, a legislação passa a respeitar um pouco mais o desejo e as necessidades do empregado e do empregador. A Lei cumpre efetivamente a sua função, que é de resguardar direitos respeitando a cultura e a realidade vigentes. Avanços fundamentais que devem se refletir na economia de forma positiva.

A modernização da legislação trabalhista é um passo importante, fundamental. Mas, sozinha, não resolve os problemas pelos quais passam o nosso país. São urgentes e indispensáveis as demais reformas, em especial a reforma previdenciária, que ameaça o Caixa do Governo e a sobrevivência do servidor e está na ordem do dia.

 

Outras Notícias


Saiba tudo sobre a ACIJ diariamente em todo lugar.

Carregando

© ACIJ 2016 - Avenida Aluísio Pires Condeixa, 2.550 - Saguaçu - Joinville - SC Fone: (47) 3461 3333